VOCÊ É UMA ILUSÃO

4
3min de leitura

Esse sonho me perturbou muito. Estou em uma casa maior e mais chique do que meu ap atual. É noite, a casa está escura e completamente vazia.

Apesar disso, não me sinto oprimida. Existem dois homens na casa, um mais velho, de uns 45 anos, outro jovem de uns 30. Apesar disso, estou tecnicamente sozinha, por que eles não são bem seres humanos, são meio espíritos. 

O que acontece é que começo a me sentir mal. Sinto um torpor tão forte no corpo que não consigo me mexer. Essa sensação de imobilidade é muito forte, fica essa palavra repetindo na minha cabeça: imóvel, imóvel, e me apavora. Tenho medo de cair desmaiada, ali, sozinha.

A idéia de ficar desmaiada sozinha no escuro é aterrorizante.

Reúno minhas forças e decido chegar ao telefone e chamar minha mãe. Apesar de não gostar da idéia, só tenho a ela para recorrer nessa hora. Vou pedir para ela vir me buscar. Também é uma idéia que eu não gosto, mas tudo é melhor do que desmaiar sozinha. Consigo achar o telefone. Tenho medo de não ter mais forças para ligar, mas tenho. O primeiro número que disco dá ocupado, aí percebo que liguei para o número da minha própria casa. Me concentro para lembrar o número da minha mãe. Novamente tenho medo de não conseguir lembrar, mas lembro. Disco bem devagar para não errar.

Aí acontece a coisa mais louca. O homem mais jovem me abraça por trás, com carinho, e me diz, em um tom doce e carinhoso, que não é para eu me preocupar por que não está acontecendo nada de mais, está tudo bem, tudo certo. Ele não quer que eu peça ajuda. Eu o afasto e digo:

– Você é uma ilusão! Você é uma ilusão!

E continuo a tentar ligar para minha mãe.

Acaba aí. É muito difícil de entender. No sonho eu tive a sensação de que esse homem não estava certo, ele queria me impedir de pedir ajuda, queria que eu ficasse imóvel no escuro, cada vez mais imóvel e entorpecida, sozinha, isolada.

No sonho eu também tive a sensação de que esse homem representava o Lyba, não exatamente o Lyba, mas o que eu deixo que o Lyba represente para mim, por que ao me permitir ter a ilusão de que o Lyba me ama, é como se eu não estivesse mais sozinha, mas é uma ilusão, não existe esse amor, esse amor é um fantasma que me impede de pedir ajuda, e apesar de doce e carinhoso, me mantém isolada no escuro. No sonho eu tive a sensação de que era exatamente isso o que o sonho queria dizer, na hora que eu dizia “você é uma ilusão”, tinha a sensação de estar dizendo isso para essa crença confortadora de que sou amada por ele.

Agora, existe a explicação racional que contraria esses sentimentos todos: de que o homem seja meu animus bom tentando me impedir de ligar para minha mãe, coisa que eu realmente não quero fazer, e me dizendo para não me assustar com o que está acontecendo por que apesar das aparências, não está acontecendo nada ruim.

Eu fico com as duas coisas. Não quero ligar para minha mãe, mas não quero acreditar que o Lyba me ame, não quero preencher meu desespero com isso.

Quero procurar ajuda sim, mas não da minha mãe.

{15 de agosto de 2004}

IMAGE CREDITS WONG KAR-WAI | IN THE MOOD OF LOVE

VOCÊ É UMA ILUSÃO

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Quem viu também curtiu

ELES NUNCA TIVERAM UMA PISCINA

O XIXI DE SPRITE

SÓ ELE PODERÁ AMÁ-LA DAQUELE JEITO