O ANALISTA QUE ESTAVA LÁ

2
2min de leitura

28 Setembro 2003

Se passa num lugar que lembra muito uma faculdade. Não um colégio, uma faculdade. O começo eu não lembro, só que uma hora estou descendo uma escada e vejo um albinho de fotos no chão. São as fotos do programa piloto que eu fiz com a Maria e ela deixou cair no chão sem perceber. Eu pego aquilo muito triste e penso: o resultado do meu trabalho está no chão, no chão.

Aí estou numa sala sentada em um divã, com um homem, que nesse momento ainda não está configurado como analista. Ele é professor de canto. Canto várias músicas. A última sai especialmente boa, porque estou usando as novas técnicas que aprendi. Olho para ele e ele está com uma expressão de quem está muito radiante com alguma coisa, mas está se contendo. Ele me diz para cantar de novo. Me diz para interpretar mais a letra. Vou logo dizendo que não vou ficar interpretando não, porque a letra é muito triste, sobre uma mulher que foi abandonada. Quando estou falando isso, percebo que não consigo mais vê-lo e estou falando com uma cadeira vazia. Penso: de novo essa cadeira vazia? Porque não posso vê-lo? Neste sonho não existe a idéia de que eu esteja sozinha, sei que ele está lá, eu é que não consigo ver. Aparece um espelho e nele vejo refletida a imagem do analista sentado na cadeira. Penso: ah, pelo espelho eu consigo vê-lo. Ele é um homem muito bonito. Aí ele torna a aparecer na cadeira, mas mais longe. Mudou de atitude. Nessa hora é que ele se configura mesmo como analista. Está falando em um tom frio e distante sobre o cuidado que se tem que ter no tratamento de mulheres perturbadas. Eu penso: será que ele está achando que eu estou apaixonada por ele? Falo: pode chegar mais perto, juro que não vou fazer nada. Quero que ele fique perto por que me sinto menos sozinha. Ele continua falando sobre mulheres perturbadas. Fico meio incomodada com o jeito dele falar, como se eu fosse uma aberração. Pergunto: mas que mulher que não é perturbada? Me dê um exemplo, um só! Vejo que ele fica confuso e não sabe responder.

O ANALISTA QUE ESTAVA LÁ

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

analista cadeira cadeira vazia cantar canto fotos invisível mulheres perturbadas professo de canto trabalho no lixo

Quem viu também curtiu

O ANALISTA

SOU CANTORA

AS SEREIAS IMPOSSÍVEIS DEMAIS PARA SER VERDADE