THE SOUL TELEVISION

O tombo

The Soul Television


por uma estranha fatalidade

me encontro exorcizada

da minha própria pessoa


O TOMBO

Saio para a varanda sabendo que é perigoso. É noite e por toda parte imperam as trevas.

Mas tomei a decisão de ir ao encontro da escuridão. Ela está a espera do lado de fora.

Vem sobre mim. Me entrego como a um amante. É forte e intenso como levar um tiro. 

Então estou transformada. Tenho sentimentos e desejos, faço coisas que não era capaz, ando firme e com precisão, encaro e seduzo sem receio.

Aliás nem ando mais, me desloco flutuante sobre o chão, com certo cuidado para não deixar que percebam, pois descobririam que não me pertenço mais. Estou possuída.

Me parece uma boa idéia sair para a rua.

Nunca deu em nada de bom mas me ocorre que agora,encarnada de poderes obscuros poderia resultar diferente.

Já de cara noto uma diferença: não mais me atrai o que me atraia antes. Agora mostro inclinação por escombros e desolação. Mas estou disposta a seguir meus desejos. Quem sabe dessa vez não me levarão ao que procuro?

Estou quase abrindo a porta de uma casa particularmente arruinada quando do nada caio ao chão e ralo a palma da minha mão como ralava o joelho em criança.

Tento fazer com que tudo volte a ser como estava antes mas a dor na minha mão não passa. 

Estou muito desconcertada, meus sentimentos malignos evaporaram.

Sou de novo a criatura confusa e temerosa de sempre, alguém que do nada tomba no chão e rala a mão, como criança. 

The Soul Television
The Soul Television
The Soul Television
The Soul Television